Sobre só Surubinha de Leve

Por - 23.1.18

Pixabay


Esse é um assunto que eu não queria falar sobre aqui no blog, mas terei.
Recentemente tivemos a situação da música Só Surubinha de Leve. Felizmente a maioria das pessoas entendeu como a mensagem da música é nojenta e a música foi removida de algumas plataformas. Mas infelizmente tem pessoas que acham que a repercussão que a música tomou foi um “exagero”, que “é só uma música não é pra ser levada a sério”. Mas o que realmente me incentivou a escrever esse texto foi um tweet que eu vi onde uma MULHER diz que “as feministas estão exagerando demais e que apoiamos a música Vidinha de Balada, da dupla Henrique e Juliano”.

Primeiro: Quem me conhece sabe que eu repudio a música Vidinha de Balada. Acho nojenta porque claramente faz um incentivo ridículo para que mulheres achem que um relacionamento abusivo é algo romântico. Você dizer que “nós feministas” concordamos com isso é a mesma coisa que dizer que "toda mulher solteira que beija na boca é p*ta”. A menos que você conheça todas as mulheres que se dizem feministas no mundo e tenha ouvido de cada uma delas que elas concordam com a música, por favor, não fale do que você não sabe.

Segundo: Se você, independentemente de sexo, acha que é normal uma mulher ser estuprada após ser alcoolizada e depois se jogada na rua é algo “normal”, pois você precisa desenvolver seu cérebro. Se lutar para que eu, ou minha mãe, ou minha irmã, ou alguma mulher (muitas vezes criança) não sejam estupradas INDEPENDENTEMENTE de onde estamos ou como estamos vestidas faz de mim uma pessoa exagerada, pois eu sou o exagero em pessoa.

Terceiro: Você não precisa apoiar o feminismo, mas você precisa entender que a maioria dos direitos femininos, das conquistas que as mulheres tem, são graças a pessoas feministas. Se você acredita que as mulheres devem ter os mesmos direitos que os homens então você é feminista, não precisa ficar com medo da palavra. Nós lutamos para que as mulheres possam sair à noite sem se preocupar com a hora que vão voltar com medo de que alguém faça algo com elas, lutamos para que nós sejamos pagas pelo trabalho que fizemos igualmente, lutamos para que eu não seja taxada de p*ta só por estar sendo solteira e livre, lutamos para que aquelas mulheres que morreram queimadas na fábrica não tenham morrido em vão, lutamos para que você que postou esse tweet tenha o direito de expressar sua opinião (por mais ridícula e sem cabimento que seja) ao invés de estar em casa, submissa, sem ter o poder de falar. Uma mulher falar que o FEMINISMO é exagero é o mesmo que ouvir um Judeu dizer que admira Hitler, ou um negro dizer que admira a Ku Klux Klan e alguém dizer que mata em nome de Deus. E pra quem diz que as feministas estão procurando por superioridade aos homens, pesquise a diferença entre feministas e feminazis.

Então eu peço que vocês pensem no que estão falando, estamos lutando (não apenas as feministas) para que o mundo seja um lugar melhor onde uma criança cresça e ache um absurdo um estupro, não que ache isso uma coisa normal. E eu espero do fundo da minha alma que você não precise que algo ruim aconteça com alguém próximo a você para que você entenda isso. Espero que você use essa arma tão poderosa que é a internet para PESQUISAR sobre o que você esta falando, para aprender com ela, ela não serve apenas para seu Whatsapp funcionar. Antes de falar sobre um assunto pesquise sobre ele, a gente já tem pessoas ignorantes demais no mundo, seja diferente.


Você também pode se interessar por:

4 comentários

  1. Essa música e um lixo assim como quem canta. Perdeu até o direito de pedir respeito, se que ele sabe o significa isso.
    Abraços https://strangerboy01.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca havia ouvido falar da música, mas no momento que ouvi dizer que fazia apologia ao estupro, me PROIBI de escutá-la. Graças a Deus nunca ouvi, mas achei um absurdo um tweet do próprio cantor comparando apologia ao estupro com beijo gay. Faça-me um favor, né.

    https://thatisrealme.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, e infelizmente nossas crianças estão crescendo com essa cultura. Triste!

      Beijão!

      Excluir