Relaxa

Por - 17.4.18

Lumusiando


Responda, mentalmente, com sinceridade as seguintes questões: antes de postar uma foto você pede a opinião de alguém? Ou quando você vai vestir uma roupa? Quando você vai comprar algo? Se a resposta da pessoa for algo que você não gosta, você deixa de postar/usar/comprar aquilo? Se a resposta da última pergunta for sim, então precisamos conversar.
Vamos deixar bem claro aqui que não há problema nenhum você pedir opinião alheia. Eu peço, você pede, todo mundo pede opiniões porque a gente gosta de saber o que os outros estão pensando, e tá tudo bom com isso ok? O que não pode acontecer é você deixar que os outros formem sua opinião por você, opiniões alheias são ótimas pra ajudar a construir a sua, não para formar ela por completo.
Eu, particularmente, não sou de pedir muito a opinião dos outros porque uma coisa que eu sempre tive em mente é que ao deitar a cabeça no travesseiro a noite e repensar meu dia, o único julgamento que vai contar vai ser o meu. No final o maior juiz somos nós, então a opinião que deveria contar é a nossa. Sim, eu tenho minhas indecisões e nesses momentos eu recorro a opiniões alheias para me ajudar a forma-las, mas a diferença é que se eu tiver gostado do roxo e todo mundo me falar que o azul é o mais bonito, eu vou usar o roxo.
E sim, hoje em dia é muito difícil você formar sua opinião com toda essa exposição que temos graças a internet, eu sei que é muito difícil escolher qual blusa ou qual curso vai seguir porque sempre tem pessoas mostrando novos prós e contras daquela decisão. Sei que a gente queria muito ser sempre aceito socialmente porque é bom (ou nos ensinaram que é), mas e você? O importante é você se aceitar.
Se você se sente bem sendo uma Kylie Jenner, mana só vai. Se você se sente bem comendo pão com doce de leite, coma pão com doce de leite. E daí que amarelo e laranja não são bonitos juntos de acordo com a moda? Use amarelo e laranja, não é a moda que vai usar, é você. E daí que uma mulher gorda ta usando cropped na rua? Ela ta feliz cara, deixa ela. Se a sua decisão não for fazer mal a ninguém faça ela, não pelos outros, mas por você.
A gente é bombardeado com lições de como devemos ser desde que nascemos. Seja doce, seja gentil, homem não faz isso, mulher não fala alto, não pode fazer sexo no primeiro encontro, não pode usar roupa assim. “Mas você vai fazer história? Isso não dá dinheiro”. “Desse jeito não vai arrumar um homem”. “Vira um homem rapaz”. Isso é chato né? Principalmente quando você simplesmente não quer ser assim. E olha, ta tudo bem.
Ta tudo bem se você não concordou com a opinião do colega e quiser expor a sua. Ta tudo bem se você não gostou de uma atitude que tiveram com você e você quiser ficar brava com a pessoa. Ta tudo bem se você simplesmente não quer responder ninguém no Whatsapp hoje porque não ta se sentindo bem. Ta tudo bem se você não quer seguir a carreira que dizem que você deveria seguir. Tudo bem, você não precisa ser perfeito, ninguém é. A única coisa que importa é a sua saúde, corporal e mental.
Então quando você tiver vontade de fazer algo que parece estranho ou que você acha que as pessoas vão achar “errado”, faça (se não for ilegal e não machucar ninguém, claro). Para inventar coisas novas você precisa fazer coisas novas, não dá pra sentir o gosto de um sorvete de morango só tomando sorvete de creme. Não dá para viver novas experiências fazendo as mesma coisas todos os dias. Se permita ser uma nova pessoa todo dia ainda sendo você mesmo.

OBS: A minha inspiração para esse texto veio de um texto escrito pelo meu amor, Frederico Elboni.
Pra conferir o texto inspiração é só clicar aqui.
E para conferir o post sobre o Fred, é só clicar aqui.
O livro da imagem do post é Um Sorriso ou Dois, do Fred também. 

Beijão!

Você também pode se interessar por:

0 comentários