Batom

Por - 27.7.20

Batom - Lumusiando - Foto original do Lumusinado
Imagem: Lumusiando 

Eu nunca tive problemas com a cor da minha pele, nem com o tamanho do meu nariz, porém sempre tive uma relação de amor e ódio com a minha boca.
Vamos deixar bem claro que nunca quis mudar ela, mas também não queria que ela ganhasse destaque. Um dos ensinamentos que eu recebi do meu período na escola foi o de como as pessoas podem ter atitudes que machucam as outras, no meu caso as pessoas eram crianças que refletiam os preconceitos aprendidos em lugares fora da escola. Fato é que, desde que entrei na escola, eu recebi muitas ofensas disfarçadas de apelidos direcionadas ao tamanho de minha boca. Eram palavras muito ofensivas que eu não vou repetir aqui, mas que machucavam bastante; machucavam tanto que fez com que eu me sentisse insegura com algo tão natural e que nasceu comigo como a minha boca. Que doideira né? Quer dizer, é uma boca, não devia ser nada demais, mas se tornou algo demais.
Dessa forma eu nunca quis passar batom na minha vida, tipo, nunca mesmo. Sendo bem sincera eu nunca fui do tipo que passava maquiagem, mas obviamente esse fator ajudou bastante. Lembro de quantas vezes me olhei no espelho e desejei ter lábios um pouco menores e “mais normais” para que eu parasse de ser alvo de “brincadeiras” que me faziam tão mal. Claro que hoje em dia eu reflito sobre isso e percebo que aquelas crianças nem deviam saber o que estavam fazendo e como estavam agindo, mas sabemos que a intenção ou inocência de um ato não diminui os efeitos que ele causa.
Lembro quando comecei a me questionar sobre essa insegurança que tinha sobre os meus lábios, eu vi uma reportagem sobre uma mulher que havia passado por um procedimento estético para aumentar os lábios e o procedimento infelizmente deu errado, fazendo com que a mulher tivesse sérios problemas e ficasse com uma deformação em seu rosto. Naquele dia eu lembro de pensar: “Então quer dizer que as pessoas estão injetando coisas no rosto para ter uma boca do tamanho da minha sendo que a minha que é natural é feia? Qual a lógica disso?”.
Depois dessa pequena reflexão eu comecei a trabalhar comigo sobre como eu não podia deixar algo tão desnecessário quanto essas opiniões deixarem com que eu desgostasse de algo que era meu; afinal, não é como se eu fosse fazer algo para mudar minha boca nem nada do tipo, então a gente ia ter que aprender a conviver. Eu sempre recebi críticas por não usar maquiagem e como isso me tornava uma pessoa menos feminina (quer dizer, olha, se o povo pegasse o tempo que passa criticando aparências alheias e passasse ele cuidando da própria vida ou reclamando do que realmente importa, a gente nem estava mais em quarentena), o que sendo bem sincera eu depois de um tempo ignorei com gosto porque eu sempre fui meio de não ligar para a opinião alheia sobre minha aparência (tirando os traumas da infância que estão sendo trabalhados agora); fato é que, não usar maquiagem sempre me deu uma forma de poder, porque eu me sentia bem diferente das outras pessoas e isso me deixava bem feliz, além de fazer muito bem para a minha pele e me dar a chance maravilhosa de ir contra um padrão imposto pela sociedade que eu fico muito feliz em saber que eu quebrava antes mesmo de saber o que era padrão de beleza.
“A nossa, então você está fazendo um texto para criticar quem usa maquiagem?”
Eu não, vocês já viram o poder de uma pessoa quando ela faz aquela maquiagem? Já viram como as pessoas conseguem modificar tudo nelas com maquiagem? Gente, de verdade, maquiagem é arte e vocês precisam aceitar isso.
Eu estou fazendo esse texto porque a forma preconceituosa e maldosa pela qual fui tratada há muitos anos resultou em uma insegurança com o meu próprio corpo que nem devia existir. Hoje eu, Maria Eduarda de 22 anos, sei reconhecer o quanto aquele preconceito estruturado naquelas crianças é preocupante demais e de como eu espero do fundo da minha alma que todas aquelas crianças tenham crescido, evoluído e mudado suas atitudes e opiniões (assim como eu que já tive muitos pensamentos errados. consegui e continuo tentando mudá-los e me tornar uma pessoa melhor). Eu escrevo esse texto porque eu fiquei muito feliz quando eu passei um batom a pedido do João Pedro e da Ana Paula que nunca haviam me visto usando um, e percebi o quanto minha boca é muito maravilhosa. Feliz de ver como eu fiquei me olhando toda boba no espelho pensando “Uau, por isso as pessoas não queriam que eu usasse batom, olha que arraso”. Feliz em perceber que eu superei mais uma barreira doida que não fazia o menor sentido e mesmo assim me bloqueava de ser 100% feliz comigo mesmo.
Escrevo esse texto porque espero que um dia ninguém mais tenha que se sentir inseguro com seu próprio corpo e que todos nós tenhamos o senso do ridículo com o que sai de nossas bocas e a consciência do quanto isso pode afetar a vida de alguém, mesmo que a gente não perceba isso. E também queria mostrar como eu fiquei maravilhosa de batom. Isso quer dizer que agora eu vou usar batom sempre? Não, porque eu não sou obrigada; quer dizer que se algum dia eu quiser usar batom, eu vou usar me sentindo a deusa que sou.
Beijão!

Você também pode se interessar por:

16 comentários

  1. Olá! Você é linda, e amei o batom. Acho lindo com e sem batom e temos mesmo uma barreira sempre que algumas pessoas falam constantemente de algo em nós. O que não podemos deixar é essa barreira crescer e fazer com que fiquemos paralisados ou sem gostar do que vemos no espelho.
    Somos lindas e somos completas.
    Beijocas.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, Maria Eduarda.
    Infelizmente as crianças crescem com o preconceito dos pais e passam isso adiante sem nem saber o que está fazendo ou quanto está prejudicando alguém. Eu usei maquiagem pela primeira vez nessa idade também. Inclusive nunca tinha pintado unhas nem furado a orelha, que fui furar com 24 anos. Mas não foi pelos mesmo motivos que o seu. Mas enfim, a gente devia ser ensinado a valorizar o que temos e não desprezar o do coleguinha que tem. Vamos na fé de que isso um dia vai mudar.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Oie, Maria Eduarda!
    A sua boca é linda! Deveria usar mais cores de batons.. você é jovem e linda!!

    Um beijo,

    www.purestyle.com.br

    ResponderExcluir
  4. I like full lips like yours and with the right lipstick you can enhance them...
    We should never pay too much attention to other people's judgments about our body ... it hurts, it's true, but our love for ourselves must be stronger

    What about following each other?

    The World Of A Vet
    Bloglovin
    Instagram

    ResponderExcluir
  5. Adorei seu texto!
    Eu também tinha muito problema em usar cores de batom por conta da minha boca, mas hoje em dia eu uso todas as que eu gostar e não me importo.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  6. Você é linda do jeito que é. Cada pessoa é especial na sua essência e acredite, a gente nunca está satisfeita com a gente mesma, mas podemos aprender a nos amar mais. Amei o seu batom!

    Big Beijos,
    Lulu on the sky

    ResponderExcluir
  7. Você é maravilhosa demais, me emocionei com seu texto e me identifiquei com algumas coisas. E com ou sem batom você é uma diva. Beijos!
    www.lostwords.com.br

    ResponderExcluir
  8. O bullying realmente deixa marcas, tanto que eu odiava meus baby hairs por que eu era zoada na escola, e até hoje não tenho um bom relacionamento com esses cabelinhos mais curtos que eu tenho. Mas, a gente vai aprendendo a ser ver de maneira diferente, assim como você aceitou a sua boca e isso é bem legal! Você arrasou de batom, mas é isso mesmo, você não é obrigada a nada, use batom ou qualquer outra maquiagem quando quiser e se sentir a vontade, isso sim é liberdade e aceitação.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  9. Eu também não gostava da minha boca quando era criança, sempre achei grande, mas depois com o tempo fui aprendendo a gostar mais das minhas características. É muito triste como os pais passam seus preconceitos para as crianças e como elas depositam isso nos colegas da escola. Espero que um dia isso mude, ou pelo menos melhore. Ótima reflexão, você é linda <3

    Beijos
    http://www.leiapop.com/

    ResponderExcluir
  10. Você é maravilhosa e ficou gatíssima de batom vermelho, arrasou muito mesmo! ♥
    É complicado essa questão das pessoas julgarem os outros dessa forma tão cruel, é como você disse tomara que essas crianças que disseram coisas horríveis pra você tenham crescido e se tornado pessoas boas.
    Parabéns por escrever esse texto e parabéns por superar tudo isso! :)

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Uau! Que verdadeira lição de autoestima. Adorei o texto. Que possamos nos amar primeiro para depois amar os outros.

    Bom fim de semana!

    OBS.: O JOVEM JORNALISTA está em quarentena de 22 de julho à 31 de agosto, mas comentarei nos blogs amigos nesse período.

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  12. Nós vimos a foto e ficas bem gira com batom
    Beijinhos 😊 , Damsel.me-Clique Aqui

    ResponderExcluir
  13. Que maravilhosa, duda!!
    É muito lindo quando a gente se liberta e passa a enxergar as coisas com nossos próprios olhos, incidentes negativos na infância são bem mais difíceis de superar e fico feliz que tenha consegudo! <3
    Beijoss, Blog Seja Agridoce ♥️♥️♥️

    ResponderExcluir
  14. Eu também espero que um dia toda essa insegurança que nos foi dada ao longo da vida uma dia suma e que nós apreciamos cada detalhezinho que nós temos.
    Beijos,

    Marcela Miranda

    ResponderExcluir
  15. Eu fico feliz que você tenha superado essa barreira. É triste o quanto as pessoas palpitam e fazem comentários maldosos sobre os outros, eu lembro que cresci odiando meu corpo por conta da opinião dos outros, e isso começou na infância, na adolescência só piorou, ainda tento superar isso
    Beijos ♡ Blog | Instagram | Youtube

    ResponderExcluir
  16. Maria, você é linda! Nunca esqueça disso! ♥

    ResponderExcluir