25% | Outubro Rosa

 

Lumusiando

Texto escrito por: Hallíryma S. Valério - COREN/ES 521410

Você sabia que o movimento denominado Outubro Rosa é comemorado internacionalmente? Meu nome é Hallíryma, sou enfermeira e te convido a conhecer mais um pouco sobre esse movimento e a sua importância na saúde.

No intuito da conscientização para o controle do câncer de mama, o movimento Outubro Rosa foi criado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure bem no início da década de 1990. Aqui no Brasil, a Lei nº 13.733/2018 institui essa comemoração.

Anualmente, no mês de outubro é realizada a campanha no intuito de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença e, com isso, garantir o acesso dessas mulheres aos serviços de saúde, para que o diagnóstico e o tratamento sejam realizados precocemente e, dessa forma, contribuindo com a redução da mortalidade.

O câncer de mama é causado por uma multiplicação desordenada das células mamárias. Esse processo gera células anormais que se multiplicam, formando um tumor. Existem vários tipos de câncer de mama. Há tipos que apresentam um desenvolvimento rápido e, outros que apresenta o crescimento mais lento. Esses comportamentos distintos acontecem pelas características próprias de cada tumor.

Segundo os dados do Ministério da Saúde, o câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres, no Brasil e no mundo, correspondendo a cerca de 25% dos casos novos de câncer a cada ano. Esse percentual é de 29% entre as brasileiras. Vale a pena lembrar que o câncer de mama também acontece nos homens, de forma mais rara, representando apenas 1% do total de casos da doença.

Os sintomas mais comuns encontrados no câncer de mamas são os nódulos fixos que geralmente são indolores; mudança na posição e no formato do mamilo; vermelhidão, inchaço, calor, dor, aparência de casca na pele da mama (mesmo sem a presença de nódulo); secreção sanguinolenta ou aquosa nos mamilos; presença de um sulco na mama (como se fosse um afundamento de uma parte da mama) e caroços no pescoço ou axilas.

Existem vários exames que podem ser realizados para chegar ao diagnóstico do câncer de mama, entre eles estão o exame das mamas e a mamografia. O exame das mamas deve ser realizado pelo profissional médico ou enfermeiro capacitado previamente. O ministério da saúde não recomenda mais o autoexame das mamas, como técnica a ser ensinada às mulheres para rastreamento do câncer de mama. Grandes estudos sobre o tema demonstraram baixa efetividade e possíveis danos associados a essa prática. Mas, é importante ressaltar a importância da mulher se conhecer e conhecer o próprio corpo a fim de perceber alterações que podem ser suspeitas, como os sinais e sintomas citados acima.

O Ministério da Saúde/Instituto Nacional do Câncer (INCA) recomenda que a mamografia de rotina (rastreamento) para as mulheres de 50 a 69 anos uma vez a cada dois anos.  Para mulheres pertencentes a grupos com risco aumentado (mãe, irmã ou filha com diagnóstico de câncer de mama, abaixo dos 50 anos de idade; mãe, irmã ou filha com diagnóstico de câncer de mama bilateral ou câncer de ovário, em qualquer faixa etária; Mulheres com história familiar de câncer de mama masculino; Mulheres com diagnóstico histopatológico de lesão mamária proliferativa com atipia ou neoplasia lobular in situ), recomenda-se mamografia anual a partir dos 35 anos de idade.

Existem diversos tipos de tratamento para o câncer de mama, o plano terapêutico deve ser traçado pele médico de acordo com sua avaliação médica e os resultados apresentados nos exames realizados para o diagnóstico. A paciente deve ser informada sobre as possibilidades de tratamento para o seu caso e é direito da paciente participar, questionar e discutir com o médico todas as opções. É importante lembrar que quanto mais cedo for o diagnóstico maiores são as possibilidades de cura!

Em função da variação de fatores que está relacionado ao aparecimento e o fato de que vários deles não são atitudes modificáveis, o câncer de mama não é totalmente evitável. A prevenção é baseada na redução de fatores de risco e na melhora da qualidade de vida. Fatores como obesidade e consumo de álcool podem piorar os resultados e riscos para o câncer de mama. Então a adoção da alimentação saudável é de suma importância, assim como a prática de exercício físico, cessar ou diminuir o tabagismo e o não uso de hormônios sintéticos.

Outra aliada na prevenção ao câncer de mama é a amamentação. Alô mamães de plantão! Estudos mostram que o risco de desenvolver câncer de mama diminui de 4,3% a 6% a cada 12 meses de duração da amamentação. Ao amamentar o vínculo entre mãe e bebê é aumentado, o leite materno trás vários benefícios para o bebê e, além disso, o ato de amamentar previne a mãe do câncer de mama e de vários outros malefícios para a saúde. Isso tudo é maravilhoso!

Outubro está chegando ao fim, mas, a prevenção ao câncer de mama deve ser realizada durante todo ano! Repasse informações para as amigas, irmãs, tias e primas. Quanto mais informação adquirida mais rápidas são as chances de diagnóstico, tratamento e cura. Cuide-se! Sua saúde é o seu maior bem!

━━━━━━━━ ━━━━━━━━━━━━━━━━ ━━━━━━━━

 

O texto que você acabou de ler foi escrito pela Hallíryma S. Valério, que aceitou o convite do Lumusiando para falar sobre a campanha do Outubro Rosa e a importância da prevenção do câncer de mama. Hallíryma é enfermeira especializada em CCIH e em Atenção Primária a Saúde. Atua atualmente no Programa de Qualificação da Atenção Básica no Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação da Secretaria Estadual de Saúde do Espírito Santo. Além disso ela também é minha irmã e meu orgulho, e o nome dela se pronuncia “Alírima”, sim o H é mudo.

Lumusiando


*Para ir ao Instagram da Hallíryma e conhecer mais sobre o seu trabalho, basta clicar na imagem acima.

9 Comentários

Postar um comentário

  1. Post muito bom e explicativo, não sabia que o autoexame não era mais recomendado. Obrigada pelo conhecimento ��

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que nome diferente. Achei muito interessante trazer esse assunto e chamar uma enfermeira para falar sobre, isso é muito importante e precisa ser conversado mais. Parabéns pela iniciativa.

    ResponderExcluir
  3. Texto super necessário, principalmente neste ano com a pandemia. A atenção das mulheres não pode se desviar.

    Beijos
    http://www.leiapop.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá, vim retribuir a sua visita ao meu blog e já estou seguindo o seu. #84 Apareço na no fim do painel de seguidores, nunca percebi porquês mas não consigo colocar foto.

    Beijos
    Coisas de Feltro

    ResponderExcluir
  5. Fiz o exame no início do ano, mas preciso renová-lo. Até porque esses exames de rotina nos ajudam e são importantes em nossa vida, né?
    Post super pertinente.
    bjs www.diadebrilho.com

    ResponderExcluir
  6. Que texto mais didático e importante. Algumas coisas eu não sabia. Agradeço à sua irmã por essa verdadeira aula.

    Bom fim de semana!


    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  7. Ana Cristina Fernandessábado, outubro 31, 2020

    Oi Duda, que legal chamar sua irmã para falar sobre esse assunto importante. Tenho certeza que sua mãe está orgulhosa das filhas que tem.
    Fiquei assustada em saber que o cancer de mama representa 29% nas brasileiras, fiquei assustada. Obrigada pelas informações.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Que texto lindo e inteligente. Que Jesus continue a te iluminar e te abençoar

    ResponderExcluir
  9. Oiee

    to surpresa com algumas coisas que eu não sabia.
    Não sabia que o outubro rosa é internacional e nem que o autoexame não é mais recomendado.

    Obrigada pelo texto,
    Apesar do Caos

    ResponderExcluir